7 de agosto de 2011

E SONHEI UM PESADELO

Eu tive um sonho quadrado
Quadrado imperfeito
De arestas marcado
Com amplo defeito
Mas de sorriso encastoado

Tive um sonho tão giro
Simples e redondo
Com que a fuga eu firo
É onde me esconde
Quando o real não prefiro

Parecia um sonho raso
Sempre fugindo covarde
Mas tentado obter o vaso
Antes que fosse tarde
E me enterrasse em atraso

Disseram era um sonho obtuso
Sob um ângulo marcante
De um pensamento confuso
Que num lance traficante
Me confundia o fuso

Julgo que era um sonho recto
E por ele me explorei
Pra não tê-lo em veto
À persistência implorei
E adorei-o com afecto

Mas era um sonho agudo
Tão grande e tão alto
Gritante mas mudo
Num rasado planalto
Onde o ânimo eu grudo.

E tornou-se um sonho nulo
Não por mim, não por outros
Mas pelo próprio pulo
Em seus desencontros
Num real que não engulo


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...