5 de março de 2009

DESCUBRA DUAS DIFERENÇAS - NAZISMO E JUDAISMO



Alguém aqui já leu O Último Justo de Andre Schwarz Bart? O livro abre com a história de Judeus a serem chacinados na Europa e tentando sobreviver e manter as crenças. É tocante, é revoltante.

Foram mortos mais de seis milhões de judeus, diz-se, e eu não acredito, acho o número inflacionado (e assumo embora saiba que negar o número é crime, felizmente não vêm muitas pessoas a este blog). Não quero com isso diminuir a gravidade e o horor do holocausto, mesmo que tivesse sido morto só um judeu pelo facto de ser judeu já seria absolutamente horrível. 

A Alemanha, perdão, os nazis não mataram apenas judeus, mataram tudo o que era diferente e contra eles, e andavam por aí muito povo diferente, por isso não entendo por que o Israel usa o crime alemão como escudo para as merdas que quer fazer.

Eu sempre tive pena do povo judeu. Conheci-o pela Bíblia, o povo querido de Deus, depois pelos romances e pelos filmes, portanto simpatizava com eles. Pois, ninguém merece ser assim tratado. Soube depois das medidas compenstórias, a Alemanhã a pagar tributos a Israel, a Europa a favor dos coitadinhos, a América a apadrinhá-lo, achei justo, muito justo, nem sequer me lembrei que sou de uma raça incontáveis séculos fodido pela ganância europeia, cujo país e continente ainda se encontram destroçados sem conseguirem encontrar um rumo certo, mas que ninguém se lembrou de indemnizar pelos danos. Os judeus foram indemnizados porque foram mortos, nós fomos mortos, vendidos e fodidos e ainda somos explorados... não gosto de comparar mazelas, mas às vezes não dá para evitar... de qualque maneira, esta refrão é de outra cantiga.

Os judeus, eu entendi depois, e revolta-me, não são também os coitadinhos que parecem ser e que o manual da História Universal disse que foram. Vamos ver a história deles, escrito na Bíblia e percebemos que sempre foram um povo violento e, tal e qual os americanos, não passam anos sem se verem metidos em guerra.

Começamos com Abraão em guerra. Depois, vamos para a migração para Egipto, onde enfrentaram o primeiro partido nazi, que por acaso só os usou, tal como usou muitos outros povos, como escravos. Saíram do Egipto, acho que misturados com outros povos que assimilaram e começaram as guerras e matanças tentando encontrar o lugar deles, a Terra Prometida, porque eram os filhos escolhidos e queridos de Deus, e a mando do próprio, praticavam a política de terra queimada... mas isso também é outra história.

Israel (eu sei que ser judeu não significa necessariamente ser israelita, mas alguém sabe destrinçar isso?)... estava a dizer, Israel nunca viveu em paz com os outros, significando que não estava em paz consigo mesmo. Mas não pretendo com isso, que mereciam ser chacinados pelos nazis. 

Entretanto, se eles não merecem ser chacinados, dominados, explorados e abusados por outros povos, por que estão a fazê-lo aos palestinos?

Qual é a diferneça entre o judaísmo e o nazismo? Eu só vejo o hexagrama e a cruz suástica, aliás ambos são símbolos de uma ideia de intolerância, ambos são símbolos de um povo que se acha acima dos demais, eleitos para governarem o mundo, de linhagem mais pura, merecedores do melhor e mais pertos de deus... ah, e também as cores. 


Rebelo-me contra Israel quando apesar do reboliço que fez e das simpatias que exige porque milhões dos seus foram mortos sadicamente há um bom par de anos, está em plena actualidade a tratar a outros da mesma forma.

Se alguém encontrar as diferenças entre o nazismo e o judaísmo (ou pelo menos o israelismo) é favor apontar.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...